terça-feira, 17 de junho de 2008

118 - "NA BOLÉIA DE CAMINHÃO" (O Tempo Passa...)

Fim dos anos 60, meu primo e eu, escoteiros com 13, 14 anos, decidimos fazer uma excursão à "Fazenda Ipanema" - reserva florestal de grande valor ambiental e histórico. Lá, no início do séc XIX, foi instalada a primeira siderúrgica do Brasil, que utilizou o minério de ferro encontrado no Morro de Ipanema, local da reserva florestal de Mata Atlântica. Hoje, além das ruínas de construções históricas, há um núcleo ecológico governamental.

Fomos a pé. O caminho se mostrou mais longo do que imaginávamos e conseguimos uma carona de um caminhão, com carroceria de madeira, vazio. Bons tempos aqueles em que ainda era seguro pegar carona em estrada... Subimos na boléia e nos sentamos no chão da carroceria. A estrada era de terra e cheia de irregularidades. Ficamos pulando e chacoalhando naquele chão como "bolas de gude" jogadas num chão de azulejo!!! Rimos muito um do outro com a estranha dança sentada que fazíamos para lá e para cá, enquanto o caminhão andava. Quando terminou a pequena viagem, estávamos empoeirados, zonzos e um pouco enjoados... mas valeu a pena!

5 comentários:

Roger disse...

Rubinho gosto muito de suas histórias, que bom que seu Blog é assim!

Imagino que ser protestante e filho de pastor naqueles tempos deveria ser algo bem diferente do que é hoje.

Abraços,

Rogério

Rubinho Osório disse...

Obrigado.
Você nem imagina! Era um saco!
Hoje nem sei como é... espero que não seja como no meu tempo de adolescente!

Tuco Egg disse...

Rá! Viajar de carona é muito legal. Viajei por todo sul do Chile assim. Peguei carona até em caminhão de esterco =)

Muito legal.

Lucas Ferreira de Paula disse...

Oi Rubens, gostei do seu blog, passei pro aki tb pra agradecer pela visita e pelo comentário ao meu texto...abçs

O Pedinte disse...

Por favor, visite o meu blog. Há uma razão especial para isso. Obrigado.