segunda-feira, 28 de julho de 2008

"Trains and Boats and Planes"

Pois é.
Neste fim de semana tiva a oportunidade de trafegar por algumas das auto-estradas paulistas. Com as férias escolares terminando, o trânsito de automóveis foi bem grande, mas o que me causou espanto foi a imensa, enorme quantidade de caminhões indo para ou saindo da capital.
Enquanto observava aqueles comboios longos de carretas pelas estradas - e pensava no volume de combustível gasto, na poluição produzida e como (quase) tudo aquilo poderia ser evitado caso tivéssemos um sistema de transporte ferroviário e hidroviário decente - lembrei-me da música de Burt Bacharach (clique para ouvir Dionne Warwick cantando): "Trains and boats and planes are passing by...". Neste país dos absurdos, apenas os "planes", justamente os mais caros, passam por aí aos montes. "Trains and boats", quase nada!
Culpa de governantes obtusos, que há 60 anos cederam às pressões da indústria automobilística e acabaram com a ferrovia e nunca utilizaram nosso enorme potencial hidrológico.
Hoje pagamos o pato. E caro!

4 comentários:

Alice disse...

...Semana passada estive em São Paulo e vi essa quantidade absurda de caminhões. Realmente, um belo sistema ferroviário já ajudaria muito ( com hidroviário junto seria perfeito) !
Rubinho, quanto ao texto, adorei sua sujestão (aliás, sempre muito bem vinda e sempre muito bem "aproveitada")mas o que eu quis dizer é que os caminhos não seriam jamais explorados (por isso inexploráveis) e também sempre desconhecidos...rsrsssss.... é essa minha mania horrível de escrever sem explicar...rsrrss... um dia eu aprendo !

...e Ubatuba, quando é que vens visitar ?

super abraço

* O Cantinho da Lia * disse...

Poxa...
Se a Ferrovia voltasse a servir a população como meio de transporte como era antigamente já ajudaria pra caramba...
Qta gente viajaria de trem...
a última viagem que fiz de trem foi qdo tinha 15 anos...(faz tempo hein)...
E é um espetáculo...
bjs

Carmen disse...

Rubinho: Você me fez lembrar dessa música maravilhosa que escutava, nos idos de 1970, na voz deliciosa de Neil Diamond... Devo ter ainda o "bolachão" correspondente.
Quanto ao que você escreveu, tem razão... Mas valeu mais pela lembrança...

Alex Liki disse...

Aqui tá fogo.....e para piorar o ar está seco.....opa, olha um pato ali!