sábado, 20 de junho de 2009

Precariedade

Li e me impressionei com o termo "precariedade da minha profissão de fé".
Tenho escrito sobre a relação entre o real e o que cremos, por isso a constatação de que tal precariedade é também minha, pegou-me de surpresa.
Barquinho de papel sujeito à fúria do mar bravio, minha fé balança pra lá e prá cá sem um pingo de bonanza. Gostaria de sentir-me firme em porto seguro, mas a ideia me aterroriza mais do que a situação atual, pois desconfio e muito daqueles que pensam ter encontrado "a mulher invisível".
Sigo, semi-náufrago, à mercê da Graça.

2 comentários:

Alice disse...

...Rubinho, há um clamor "seco" na garganta dos que adoram ao Senhor que grita já roucamente por respostas que sejam verdadeiras e esclarecedoras...e cada vez mais encontro esse clamor .
Que ELE nos responda, ninguém mais.

super abraço !

Georgia disse...

Rubinho, no mundo teremos aflicoes e acho que no momento é mais que aflicao sobre muitas coisas. Vou lá ler sobre a Precariedade ainda hoje.

Uma linda semana