quarta-feira, 21 de novembro de 2012

O Homem é finito... sua Estupidez, não.

Claudio Oliver, um amigo que não conheço, mas que admiro, escreveu-me para contar as agruras por que passa o projeto Casa da Videira - de produção alternativa de alimentos, dentro de modernos conceitos ecológicos, científicos e econômicos, mas fora dos limites estreitos da legislação.
Tomo a liberdade de reproduzir sua mensagem aqui, pois reflete, em muito, o que penso sobre a situação de nossa sociedade:
"Oi Pessoal
Hoje, logo depois do almoço, recebemos nova visita de uma pessoa nos ameaçando por sermos a causa de todos os problemas do mundo... o cheiro de esgoto que atinge o bairro, as moscas (que sempre estiveram aqui e se nossos animais as atraem, mesmo que com as armadilhas que usamos e tudo o mais, podemos pelo menos pensar no papel do um milhão de cahorros ao nosso redor, do rio de esgoto que todo dia às 18 horas fede quando todos os moradores chegam em casa e as suas descargas ultrapassam o limite de vazão da SANEPAR e vazam para o rio que vai desaguar no Barigüi), o barulho, nossa existencia... e agora vem a ameaça judicial de nos remover.
Sinceramente? A gente sabe que mais cedo ou mais tarde a gente vai ter de fechar, que a cidade (seus moradores na maioria) já fez sua escolha pela urbanização absoluta, essa luta, estas questões e estas brigas não são exclusivas nossas e de toda forma somos as partes mais frágeis desse sistema. Também sei, como acontece em todas as partes do mundo, que mais cedo ou mais tarde, a racionalidade do que fazemos, a esquizofrenia da vida dicotomizada da própria vida, vai ser confrontada com as consequências da loucura:
de que viver em condominio gera violência ao invés de evita-la;
de que trabalhar para comprar dá a impressão de autonomia enquanto nos escraviza a um mercado monocultural e venenoso;
que a independência de nossos carros nos torna dependentes em tudo da máquina de andar;
que dar o melhor para os filhos usualmente coincide com deixar de dar o importante... e por ai vai.
Bem.... a gente sabe que vai perder quando a hora chegar, mas gostaria que vocês estivessem sabendo e acompanhando isso; se alguém quiser lutar com a gente, se o que a gente faz for importante.... sei lá.... a gente aceita qualquer ajuda. Mas ajuda mesmo, caminho junto mesmo e ações concretas que possam ajudar a gente a teminar de mostrar que outro mundo é possível.Tudo isso é muito engraçado depois de receber aqui o pessoal da Universidade de Cornell, da Universidade de Aalborg, da UTFPR, das turmas de veterinária, biologia, zootecnia, de receber o deão da Universidade de Cuba, de estar discutindo ações para lidar com o drama do clima e do aquecimento global com o Comitê de Lausanne, de conviver com o pessoal de A ROCHA UK, a ROCHA Brasil, de servir de referência para amigos do "transition towns" e de ser inspirado por eles, de encorajar pessoas no TEDx Tubarão, de ser matéria até na VOCÊ S.A (que não necessariamente representa nosso modo de ser e viver...).... Bem... é engraçado e desgraçado como o mundo reage.Se alguém quiser estar junto da gente para ver o que fazer, para onde e como pular... nos avise.Por enquanto, esperamos a bomba chegar."

Um comentário:

Tuco Egg disse...

Que porcaria a estupidez humana.