sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

"No harm, no foul"...

...diz o provérbio americano. Se não houve prejuízo, dano, não houve falta, crime, malfeito.
Nem tanto, nem tanto...
E sabe por quê???
Porque as consequências dos nossos atos perduram por um longo tempo. Isac Azimov - o grande autor de ficção científica - até escreveu um livro baseado neste conceito. Ele partiu da premissa que se fosse possível voltar no tempo e alterar a história, não seria necessário uma grande mudança para o futuro ser totalmente diferente. Um simples acidente na infância que tornasse Adolf Hitler deficiente de fala, por exemplo, e pronto! Todo o Terceiro Reich desapareceria como pó, pois Hitler não teria o poder de persuasão que seus discursos tiveram. E não teríamos a II Guerra Mundial.
Ok, o exemplo de Azimov pode ser um pouco exagerado... mas deu pra pegar o sentido da ideia, certo?
Pois na próxima vez que for fazer algo, digamos, ousado (para não dizer, ilegal), pense. Os efeitos de suas ações vão perdurar por muito tempo. Talvez até mesmo depois que você já não mais estiver por aqui...

3 comentários:

Hernan disse...

Como historiador de formação, concordo em absoluto. Os EUA defendem o contrário porque lhes é conveniente, por cultura pragmática.

oimpressionista disse...

O que achou de "Fim da Eternidade", Rubinho? Parece ter sido esse o livro que você leu. Em tempo, eu adoro o Asimov...

Rubinho Osório disse...

Sim, foi "O Fim da Eternidade". Asimov era o máximo!!!