sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ai, ai, ai... já começou a campanha eleitoral

É. Estamos a um ano das eleições e o Facebook já começa a registrar postagens de cunho eleitoral. Infelizmente.
Num deles, há um aviso, bem gritante, de que a pessoa que fez a postagem não vai votar na Dilma - não faz parte dos 44% de pesquisados que disseram ter intenção de reelegê-la.
Como já vi umas 3 ou 4 destas postagens, resolvi comentar assim:
"Eu, nem na Dilma, nem no Aécio, nem no Eduardo, nem no Serra, nem na Marina... o que precisa mudar não é o nome de quem ocupa o Planalto, é o sistema político corrompido".
 Sim, as pessoas tem a ilusão que um nome, ou mesmo um partido - ou até uma rede (!?) - tem a capacidade  - mágica, creio eu - de mudar os rumos da política no Brasil.
Sinto dizer, mas... não tem, não!!!
O sistema político está tão domado e dominado pelos "mesmos de sempre", que até os "diferentes" não farão diferença alguma. E digo isso com base na observação da política brasileira nos últimos 50 anos. Até nos tempos da ditadura militar a "politicagem" sobreviveu incólume e os coitados dos milicos pensavam que mandavam no país... coitados.
Quem manda são os mesmos grupos político-econômicos que já mandavam nos tempos coloniais: os senhores da terra, os capitães de indústria, os acionistas de empresa, o capital internacional.
E o Brasil tem um sério agravante: nossas urnas eleitorais são tudo, menos confiáveis.
Convença-se: com Dilma ou sem Dilma, a coisa vai continuar mal, muito mal...
Creia-me vivemos qualquer coisa, menos numa democracia representativa (governo do povo, pelo povo).

Um comentário:

tomfernandes disse...

é, meu caro, Rubens, a impressão que tenho é de que o Brasil é um país em eterna campanha, cheio de promessas de um futuro glorioso que só virá após as próximas (sempre as próximas) eleições.