sexta-feira, 25 de abril de 2008

111- MOTOQUEIRO - 2 (O Tempo Passa...)

(Um assassino à solta)

Era fim do dia. O trânsito em S. Paulo mal se mexia. Eu, com a minha Yamaha 50cc, voltava da faculdade por uma avenida muito, muito movimentada.
O sinal (semáforo) fechou e eu fui, devagarinho, por entre os carros até a frente. Assim que o sinal abriu, acelerei a motoca, mas o motor falhou. Ouvi buzinas atrás de mim, e enquanto tentava fazer o motor pegar, acenei frenéticamente para o carro de trás passar.
Consegui fazer a moto andar e o carro detrás arrancou “cantando” pneu, passou pela minha esquerda, quase raspando no carro ao lado, e quando ficou bem ao meu lado, deu uma forte guinada para cima de mim. Recebi um tranco no pedal e guidão; desequilibrado, tentei manter-me ereto e na rota, mas não foi possível, e fui ao chão, rolando pelo asfalto em pleno cruzamento de avenida, hora do “rush”, em S. Paulo...
Depois ainda me perguntam como é que eu acredito em Deus...
Não me machuquei muito e a moto, apesar de ralada e amassada pode voltar a andar. Pessoas de todos os lados vieram ao meu socorro, tiraram-me da rua, puseram a moto na calçada. Teve até um que saiu com seu carro atrás do assassino para conseguir pelo menos anotar a placa, sem sucesso.
Depois dessa, machucado e ofendido, vendi minha primeira moto: medida de sobrevivência.
O assassino continua à solta...

4 comentários:

Lou Mello disse...

Xiii! Deus tem o maior trabalho com seus filhos motoqueiros. Ainda bem que ele incluiu você em uma extensa agenda e não dava para perdê-lo daquele jeito.

Alice disse...

... tem sempre um assasssino a solta perto de nós...rsrsrss... meu marido tambem é motoqueiro ( é, porque quem foi, sempre será) e quando eu o conheci ( ihhh já faz uns 30 anos)ele pertencia a uma gangue famosa em Sampa dos Hell angel's - só o nome já diz tudo ..rsrrs)...o sonho dele agora é uma Harley, pena que a grana nunca ajuda !
bjus pra vc e m otimo final de semana

bete p.silva disse...

Lindinha a tal yamaha 50 cc. Trabalhei numa loja de veículos raros que possuía uma no estoque, todinha original, à venda. Seria a sua? Mas conta, foi sua primeira e única moto? ou você já se refez do susto e continuou dando trabalho pro seu anjo da guarda?

Alex Liki disse...

Vira e mexe eu penso em adquirir uma moto.......mas as estatísticas sempre reforçam a idéia de que é melhor eu me manter como pedestre....