terça-feira, 13 de maio de 2008

Metendo-me onde não devia

Não gosto de comentar sobre política, porque as discussões que geram são geralmente estéreis.
Mas não posso deixar de lamentar a saída da ministrado meio ambiente, Marina Silva. Tal como lamentaram o Greenpeace, pesquisadores e estudiosos do meio ambiente em todo país.
Uma perda. Torço para que não seja irreparável...

5 comentários:

Lou Mello disse...

Fiquei com pena do Valter, um irmão que está trabalhando uma idéia de ministério cristão voltado à ecologia e preservação do meio ambiente, pois ele tinha montado uma estratégia toda contando com a ministra, além de evangélica, muito respeitada dentro e fora do país.

Alysson Amorim disse...

É de se lamentar: julgo que a saída de Marina pode ser interpretada como uma vitória do desenvolvimento a qualquer custo sobre o desenvolvimento sustentável.

Um forte abraço.

Roger disse...

Como comentei lá no Blog do Beto, a Marina Silva era um consolo para nós que carregamos o rótulo de evangélicos.
Acredito que ela continuará brilhando onde quer que se engaje agora.

Abração Rubens,

Roger

Anônimo disse...

É, muitas vezes, para permanecer no "poder" temos que abrir mão de princípios básicos... que às vezes não dá para deixar para lá... Melhor ficar com nossos princípios e não cedermos!!! Melhor sair de cabeça erguida!!!
Carmen

Nina Franco disse...

Olá, Rubens!
Não sei se lembra de mim..
Uma vez comentei no seu Blog sobre a questão de como os jovens lidam com a política, com a desesperança, com o cenário nacional...
Enfim,
procurando coisas por ai, deparei-me novamente com você. E achei que talvez gostaria de saber que estou na faculdade, lutando, ainda, pelos meus ideias, minhas idéias e meu crescimento interior!

Grande abraço!

Marina Franco Camargo.