segunda-feira, 18 de agosto de 2008

121 - POEMA (O Tempo Passa...)

Tentei, na adolescência, desenvolver algum talento artístico. Fui um fracasso. Não aprendi nenhum instrumento, não desenvolvi nenhum dom. Mas tentei, ah! tentei, sim! Tive aulas de violão clássico e cheguei a rabiscar alguns poeminhas. Do violão só sobrou a paixão pela música. Da poesia, só sobrou este, no qual já manifestava minha revolta contra a correria da "cidade grande" e seus absurdos cotidianos. Com a licença e perdão dos leitores, transcrevo abaixo, "Cansado":

Estou cansado de ver,
gente cansada de ver,
calçada cheia de gente,
cansada de ver calçada.

Onde, nos prédios altos,
e com pressão baixa,
a multidão solitária
procura a paz, correndo.


11 comentários:

Alex Liki disse...

Como assim não desenvolveu nenhum dom?????
O poema acima é apenas uma das demonstrações odo grande talento que tens para fazer o que quiseres Rubinho! ;)
absss

Alice disse...

Rubinho !!! acho que te faltou incentivo ou boa vontade, porque o dom, esse vc tem !!!


adorei !!


bjkasssss

Tuco Egg disse...

Legal. Especialmente a primeira estrofe. Maldade guardar essas coisas na gaveta.

E o pensamento voa... disse...

Oi, Rubinho!
Muito lindo poema!É legal poder colocar no papel nossos sentimentos! Puxa, se você não tiver mais nenhum poema escondido na gaveta, pode começar a escrever, amigo! Dom é o que não lhe falta!

Em tempo: Eu também tive aulas de harmônica e violão popular, mas não consegui levar nada adiante. Há uns 2 anos comecei a escrever uns poeminhas e hai-kais por conta de uma comunidade do orkut, e nunca mais parei. Se tenho dom? Não sei, mas me faz muito bem pra alma!

Vai em frente Rubinho! bjs

Pelos caminhos da vida. disse...

Retribuindo visita!

Vc já tem um dom: és poeta

Otima tarde.

beijooo.

* O Cantinho da Lia * disse...

Achei muito lindo o poema...
Se tiver mais alguns na gaveta, posta aí pra gente.
Música, tbém me interessei...e até comecei a fazer aulas de Piano...mas tbém parei...

Grande beijo

bete pereira da silva disse...

Rubinho, não entendo de poesias a ponto de dar uma de crítica, mas gosto de um poema quando ele tem "balanço", aliás eu acho que até a prosa precisa ter balanço.

O teu é pequenino e completo, passa uma mensagem, e não cansa com perdão do trocadilho. Eu não tenho muita paciência pra poesia não, embora seja culpada de algumas, que não estão nas gavetas, pior, estão em disquetes.

bete pereira da silva disse...

Ô Rubinho, me manda o formato desse coraçãozinho pulsando aí do projeto coração valente, pra eu botar lá no meu blog...

bete pereira da silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carmen, crítica, disse...

Gostei da primeira estrofe...
Eu só deletaria a segunda... mas eu acho que é uma questão de treino
Bjs

alealb disse...

uauuuuuu
:)
beijos,
alê