terça-feira, 17 de março de 2009

Darwin e a revista Veja: verdades e mentiras - parte 3 e final

Segundo a revista, Freud teria afirmado que a humanidade sofreu um segundo grande golpe “quando a biologia desmentiu a natureza especial do homem e o relegou à posição de mero descendente do mundo animal.” Lendo coisas assim, até chego a acreditar nisso!!! A biologia não desmentiu nada!!! Porque não é papel da biologia ou de qualquer ciência fazer afirmações sobre o possível caráter transcendental do homem!!!
Pior é afirmar, como o faz no parágrafo seguinte, que “Concordar com Darwin significa aceitar que a existência de todos os seres vivos é regida pelo acaso e que não há nenhum propósito elevado no caminho do homem na Terra.” (E algum propósito “baixinho”, há?). O coitado do Darwin deve estar se revirando no túmulo, ao ouvir uma coisa estapafúrdia dessas. Por que o “acaso” e o “propósito elevado” tem que ser, necessariamente, excludentes? Se estamos falando de Deus, com letra maiúscula, Ele pode muito bem usar o acaso como “modus operandi" do Seu propósito elevado!!! E por que não???
A intenção manifesta da revista é dar bordoadas e reduzir ao ridículo os chamados “criacionistas”. Não sou criacionista, não me interessa defendê-los. Mas é risível dizer que estes “tentam passar (a idéia) de que o darwinismo é apenas uma teoria, não um fato, e ainda por cima está cheio de lacunas e é carente de provas conclusivas... é um argumento de evidente má fé”, como se isto fosse uma grande bobagem. A teoria é, sim, uma teoria, e tem ainda muitas lacunas e até paradoxos (que alguns, mais críticos, chamariam de contradições). Esta afirmação não é de má fé, é apenas a constatação de um fato. O que em nada diminui o valor e utilidade da Evolução como instrumento de trabalho científico. Apenas mostra que por mais que investiguemos o universo, sempre há muito mais a conhecer.
Desse ponto em diante, parece que a revista tenta dar uma de boazinha e reconhece, humildemente, que a ciência ainda não tem “respostas para todas as perguntas”. Grande novidade! A ciência nunca terá todas as respostas; não é seu papel te-las todas. Digo mais, a função da ciência é fazer perguntas!!!
Até quando finge ser boazinha a revista escorrega feio na maionese. Vejam lá. Após afirmar algumas das ignorâncias da ciência, pergunta: “A mão de Deus teria contribuído para que esses eventos primordiais tenham ocorrido? Não cabe à ciência responder... (até aqui, passável, mas aí...) enquanto não houver provas científicas do que aconteceu". Pronto!!! Revelado o segredo! A Veja assumiu a antiga e ultrapassada postura de jogar Deus para além da fronteira do conhecimento científico. Até onde a ciência tem conhecimento, informação, hipótese, Deus não entra. Deus fica lá, depois da fronteira do conhecimento, além do que a mente alcança. E só lá. Aqui, no nosso mundinho não, Deus não tem lugar!!! E esse espaço (de Deus) torna-se cada vez menor, quanto mais se amplia o espaço da ciência. Que grande bobagem!!!
Mas a revista continua sua empreitada de bondades, afirmando que ciência e religião não devem se misturar – que novidade! - e que – tchan, tchan, tchan, tchan!!! - “necessariamente não se eliminam”!!!! Oh! Quanta gentileza!
A Veja não faz apenas afirmações errôneas e maliciosas sobre a tal de "posição religiosa", mas também erra em afirmações ditas científicas. Darwin “mostrou que todas as espécies descendem de um ancestral comum, uma forma de vida simples e primitiva.” Eu creio, assim como Darwin, que assim ocorreu. No entanto, assim como ele, apenas posso afirmar minha fé de ter sido assim, e defender que esta hipótese é a que melhor explica, em maior número de casos, os achados paleontológicos. No entanto, nem Darwin, e muito menos eu, nem ninguém, podemos afirmar que foi assim que aconteceu!!! O que Darwin fez foi apresentar uma boa explicação para o que se pode constatar, fornecendo assim um inestimável modelo, ferramenta, instrumento para a ciência. Não “mostrou” nada!!! As comprovações só mostram que o modelo dele é bom, adequado à ciência. Continua sendo uma teoria!!!
Adiante, ao tentar elaborar uma descrição das emoções sentidas por Darwin com a celeuma causada por seu livro, Veja afirma: “Elaborar uma teoria que ia contra os dogmas da Bíblia era, para Darwin, motivo de enorme angústia”. Maior angústia ele teria se lesse a revista! A teoria de Darwin não ia, não vai, nem irá contra dogmas da Bíblia, porque a Bíblia não tem dogmas!!!! Quem tem dogmas são as religiões, todas elas. E a ciência também tem seus dogmas. E ai se alguém se rebela contra!!! A Bíblia é um livro, aberto à interpretação. Não propõe dogma nenhum. O ser humano, através de organizações religiosas é que erigiu dogmas e mais dogmas, dizendo basear-se no texto bíblico. Contra alguns desses dogmas Darwin se contrapõe. Graças a Deus!
Para terminar, que isto já está ficando chato, pulo para a página 90, onde a Veja cita Galileu: “As Escrituras ensinam como chegar ao céu, mas não como ele funciona”. Segundo a revista, Galileu afirmava que Deus “não falou de astronomia e física pelas Escrituras, mas por outra linguagem, a da natureza. Graças a outra dádiva divina, a mente humana, essa linguagem pode se lida com ajuda da matemática, da observação, do apego à exatidão das medidas, pelas conjecturas e, principalmente, pela experimentação... (Galileu) tinha certeza de que a experimentação científica captaria as mensagens de Deus diretamente da natureza e, se elas contrariassem as crenças religiosas, paciência.” Como se vê, a postura científica de Galileu não se opunha a existência de Deus, apenas à existência de crenças religiosas imutáveis (o dogma).
Depois de tanto imbroglio, Veja termina sua “cruzada científica” com a afirmação boba de que “o atraso mesmo está na aceitação literal da Bíblia em questões científicas". No lugar de bobagens espalhadas por mais de 15 páginas, bastava dizer que Darwin e Deus não se opõe; que religião e ciência não se chocam; que a Bíblia e a “Origem da Espécies” não eliminam. Mas não, Veja tinha que criar polêmica para vender mais e lucrar mais, porque não consegue faze-lo honestamente.

E, depois, ainda se arvoram em defensores da Ética... sei!

2 comentários:

Lou Mello disse...

Screwtape teria sugerido a Wormwood fazer com que os humanos pensem ser in ter uma mente científica e jamais acreditar em baboseiras religiosas, sobretudo, as cristãs. Se não me engano.

Roger disse...

O fato é que quem de fato está por trás da chamada imprensa livre, é o capital que a financia por meio de propagandas sem fim.

Nada melhor para esse "Capital" do que desacreditar seja a "Ciência" ou a "Religião" ou seja lá qual outro tipo de instituição que concorra com ele na influência e manipulação das massas.

Muito perspicaz seu texto!