terça-feira, 11 de outubro de 2011

Para mudar o mundo

É necessário apenas um decreto com 3 artigos simples.
(favor ler este texto ouvindo Eric Clapton)
A lei proposta baseia-se em ideias divulgadas por duas mentes brilhantes: Paulo Brabo e Rubem Alves.
Paulo, em seu artigo já divulgado aqui, deixou claro que a religião dominante atual é o capitalismo, cujo deus é a performance.
Já Rubem fez uma singela comparação entre o tênis e o frescobol - dois esportes populares no Brasil - e criou uma metáfora clara e direta com as mazelas do casamento moderno. Seus conceitos, entretanto, tem alcance muito maior.
Aproveitando-me, então da clarevidência desses dois sábios proponho meu
Decreto Para Mudar o Mundo:
Art 1o. - Fica eliminada a prática da religião conhecida como capitalismo; é proibido o culto à performance.Art 2o. - É proibida a prática do "tênis" nas atividades sócio-econômico-políticas; fica estabelecida a prática do "frescobol" em todas atividades humanas.
Art 3o. - Revogam-se as disposições em contrário.
Salvo engano.

7 comentários:

Roger disse...

Vai um adendo ao parágrafo segundo:
Principalmente em comentários de Blogs.

Agora devolve ssa bola!...

Tuco Egg disse...

Ótimo.

A propósito, a foto dos 4 na festa do Bumba Meu Boi tb é ótima.

Lou Mello disse...

Ué, pensei que você não estivesse interessado em mudar o mundo. Agora é tarde, já o fizeste.

Rubinho Osório disse...

Sim Roger, principalmente em comentários de blogues, as pessoas demonstram um desejo incontido de trucidar o outro, seja o autor do texto ou um mero comentarista, como se a definição de diálogo fosse "batalha verbal onde vence o mais forte, e não a verdade."

Roger disse...

Não acredito, você respondeu um comentário!!!

Este mundo está mesmo mudado...

Alysson Amorim disse...

Notícia quente: "O presidente do Supremo Tribunal Federal assegura que a apreciação da inconstitucionalidade do decreto será julgada em breve. Ministros sinalizam que princípios sensíveis da Constituição parecem ameaçados."

Rubinho Osório disse...

Por engano, eliminei um comentário da minha caríssima D. Urtigão. Segue abaixo, com minhas desculpas:
"O diagnóstico esta ai, já outros tambem o fizeram. Mas quantos iriam verdadeiramente querer uma solução? Aceitar e assumir mudança de modelo?
Quanto a ficar em cima do muro, é o lugar que permite uma visão mais abrangente e geral do que esta aí. De um lado ou do outro, estaremos apenas de um lado."