quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Honra ou Amor?

"Eu não posso devolver a Honra dela, mas eu posso dar-lhe Amor."
(Felipe, personagem do filme francês "A Filha do Pai", apaixonado por Patricia, ao saber que ela está grávida de um homem que não vai casar-se com ela. A desonra está em que este fato se dá em 1914, no interior da França. Naquele tempo, era difícil imaginar desgraça maior numa família do que ter uma jovem grávida e sem marido.)

Hoje, quando a Honra deixou de ser um bem supremo, e tornou-se apenas mais uma palavra vazia e sem sentido, o Amor não pode seguir a mesma trilha e cair em desuso. Torna-se imperioso tornar o Amor real por atos concretos de Solidariedade, Perdão e Amizade.

4 comentários:

Lou Mello disse...

Rubinho
É isso aí. Vamos nessa sim. Viva o amor! Pena que a honra já era.

Roger disse...

Ainda escreverei algo para aplicar essa expressão, "torna-se imperioso"...

rica disse...

o que é honra afinal? e pra que serve?

Rubinho Osório disse...

Pois é, filho, pra que serve a honra? O problema é que continua a - teimosamente - existir porque faz parte do "ser" humano. E se, um dia, deixar de existir, é porque o Amor acabou. E então deixaremos de existir tb.