terça-feira, 14 de agosto de 2012

O lado ruim do Facebook

Resisti a aderir ao Facebook. Afinal, já estava no Orkut e achava suficiente. Mas as pressões foram maiores que minhas forças e aderi. Minhas primeiras impressões foram boas: retomei contato com pessoas queridas que eu imaginava jamais voltar a ter contato! Foi bom demais.
Em seguida, comecei a curtir as novidades que as pessoas partilhavam: videos, músicas, notícias, fotos... tudo muito interessante.
Mas, então, com o crescimento da minha lista de amigos, cresceu o número de postagens interessantes e quanto mais eu interagia - curtindo, compartilhando ou comentando - mais coisas tinha para acompanhar.
Acontece que o tempo é limitado e quanto mais eu o gastava com o Facebook, menos tempo tinha para me dedicar a outras coisas da Internet, tipo, acompanhar os blogues dos meus amigos da blogosfera.
E esses são dois mundos distintos, apesar de ocuparem o mesmo cyberespaço: os blogues e o Facebook.
Blogues são ferramentas de manifestação artística, literária, filosófica, religiosa, política. Geralmente leva algum tempo para você ler uma postagem de um blogue (como este, se você chegou até aqui), e os comentários costumavam ser mais elaborados e longos do que os do Facebook, muitas vezes com debates intensos (que saudades de quando "A Bacia das Almas" aceitava comentários!!!). Pelo Google Reader, sigo cerca de 70 blogues de diversos tipos. Alguns tem até mais de uma postagem por dia, outros tem uma postagem por semana ou por mês.
No Facebook, as coisas são mais rápidas, amplas e superficiais. Alguns amigos chegam a fazer 30, 40 postagens num só dia!!! E eu tenho mais de quatrocentos amigos na lista!!!
Por conta do seu dinâmico e atraente funcionamento, o Facebook absorveu meu tempo de Internet a tal ponto que as postagens nos blogues foram deixadas de lado e hoje somam mais de cem postagens não lidas.
Fico entre a cruz e a fogueira. Por um lado, divirto-me no Facebook e gosto de saber sobre meus amigos... por outro lado, os blogues são verdadeira nutrição intelectual, espiritual e cultural para mim.
Como resolver esse dilema? Alguma sugestão?

8 comentários:

Fábio Adiron disse...

De tempos em tempos eu faço um mutirão pessoal. Entro no reader e leio um monte de blogues.

As vezes consigo zerar o backlog.

Paulo Brabo disse...

Entre também no twitter e no Google Plus.

Coloque no Facebook uma postagem apontando para uma postagem no twitter, postagem essa [2] que deve apontar para uma postagem no Google Plus [3] que deve apontar para [1] aquela postagem no Facebook... e deixe que se autodestruam.

Tuco Egg disse...

Dureza. Eu fui limando dezenas de conhecidos do meu 'feed de notícias' do facebook. Várias dezenas. Devo estar perdendo uma porção de coisas interessantes, mas ganhei bastante tempo.

Dona Sra. Urtigão disse...

Pois é, não soube o que fazer,caí nessa mesma armadilha, do rapido, superficial, mas como me estão impingindo algo, a tal Linha do Tempo, que será oficial na sexta e como eu não gosto de arbitrariedade, menos ainda em algo que deveria ser diversão, estou decidida a dar um gelo no FB. Depois eu conto se consegui ou não...

Lou Mello disse...

Oh, seguinte, não dá pra fazer as duas coisas mesmo. No máximo, você consegue fazer um bocadinho aqui, outro bocadinho acolá e boa. Se você não for daqueles caras cuja agenda é rígida, melhor. Se for, danou-se. Faxinar a lista de amigos pode ajudar. Eu não fiz até hoje, não sei se conseguiria. Uma infeliz aí, me bloqueou e eu fiquei triste. Não gostaria de causar isso em ninguém. Então, vou levar na base do nosso jeitinho. Pode ser uma alternativa.

Rubinho Osório disse...

Vcs todos são muito gentis, mas não ajudaram nada!!!!
Ler um monte de uma só vez, limar a lista, montar um círculo vicioso, dar um gelo no FB e fazer um pouquinho de cada NÃO são solução!!!!
Mas, pelo menos sei o que não adianta fazer...

Jorge Oliveira disse...

Definitivamente a solução no tempo de Facebook (vai-se rir menos mas também vai ter mais tempo para se coçar!) e siga só os blogues verdadeiramente interessantes (como por exemplo o meu! eheheh).

neli araujo disse...

Adorei o que escreveu, Rubinho! Sinto a mesma coisa, e tenho me sentido um pouco "guilty" por não visitar os blogues como antigamente.

beijos solidários, rsrsrs