quinta-feira, 5 de março de 2009

A poluição do fumo

"O cigarro é considerado a pior invenção dos humanos, pois é mais eficiente que qualquer arma química de destruição em massa. A OMS (Organização Mundial de Saúde) prevê que o cigarro irá matar mais de 10 milhões de pessoas até 2020. O cigarro não prejudica apenas os fumantes ativos. Os fumantes não percebem que seus cigarros afetam a saúde de outras pessoas e a saúde do planeta.
Veja como a situação é alarmante:
O cultivo do tabaco implica no uso intensivo de agrotóxicos;
Segundo a ACT - Aliança de Controle do Tabagismo, 12% das árvores cortadas anualmente no mundo destinam-se à produção de cigarros, na fabricação do papel e para secagem das folhas de tabaco;
Os filtros dos cigarros são fabricados com acetado de celulose combinado com mais de setecentos aditivos químicos. Depois do uso duram ainda mais de 5 anos poluindo o ambiente e causando a morte de animais;
Uma parte dos cigarros consumidos é depois descartada de forma inadequada. O espaço público é tratado como espaço de ninguém, onde tudo é permitido, inclusive poluir; e
Muitos incêndios em terrenos baldios e matas são causados pelo descarte de bitucas acesas.
Fiz uma pesquisa rápida e alguns cálculos simples para estimar a quantidade de cigarros consumidos em Araraquara, cujas bitucas devem estar sendo descartadas de forma inadequada, gerando poluição dos córregos ao serem transportadas pelos sistemas de drenagem.
Considerando que 12% da população fuma, em média, cinco cigarros por dia e que dois desses cigarros são descartados no chão, cheguei a uma estimativa de mais de 17 milhões de bitucas por ano sendo lançadas e poluindo o nosso ambiente, com uma carga poluidora equivalente a 864 mil litros de esgoto.
Fumantes com um mínimo de consciência ambiental nunca deveriam jogar bitucas no chão ou no mato e adotar como hábitos:
Sempre descartar as bitucas devidamente apagadas, em cinzeiros, caixas de areia, ou em lixeiras;
Carregar cinzeiros de bolso para uso em locais onde não existam depósitos de lixo.
"

(Texto do meu amigo Julio Perroni, de Araraquara, cidade do interior de São Paulo, com aproximadamente 200 mil habitantes. Agora imagine este tipo de poluição na cidade de São Paulo, com mais de 15 milhões de habitantes!)

5 comentários:

bete disse...

Rubinho, os fumantes só irão carregar cinzeiros de bolso para uso em locais onde não existam depósitos de lixo no dia em que galinha tiver dente.

Mas embora eu não fume, eu não tenho essa birra contra eles não, ninguém faz estudos sobre os lixos com que gente se alimenta.

Renato de Oliveira disse...

Olá, Rubinho, boa tarde!

De passagem pelo seu cantinho, deparei com este tema tabágico, que muito gostei de ler!

Fui um fumador que há mais de 20 anos deixou de o ser! Por graça, um amigo meu, dizia-me algumas vezes, que beijar uma mulher, fumadora, na boca, é a mesma coisa que beijar um cinzeiro cheio de beatas!!!

E então essa ideia de carregar cinzeiros de bolso, é deveras bestial! É o ovo de Colombo! Fácil, barato e não deixa beata pelo chão!

Voltarei, ok!

Um abraço e Bom Fim Semana (parece-me que vocês, por aí, têm bom tempo para dar um salto até à praia).

Renato

Lou Mello disse...

O que poderia comentar sobre esse tema sem ser hipócrita?

valter ferraz disse...

Rubinho,
poxa vai implicar com meu cigarrinho?
Jogo as bitucas todas nos canteiros de plantas. Ajudam amatar os insetos; tá vendo?

Aninha Pontes disse...

Cadê a responsabilidade do poder público, para que o fumante possa descartar o resto do seu cigarro?
Não podemos nos esquecer, que só se pode cobrar, quem dá.
Quanto a todo o resto, não posso discordar, afinal tenho um mínimo de inteligência, mas agrotóxico são usados na comida que comemos, indiscriminadamente, árvores são cortadas por mil motivos.
Enfim, do jeito que a coisa vai, acho melhor cuidar da natureza, e deixar o homem morrer, pelo visto, a natureza e os animais, valem mais.
Bem, desculpe a maneira de falar sobre o assunto, sou fumante, mas responsável pelos meus atos.
Um abraço.